Contexto

Nós acreditamos

no poder

das campanhas

Após o sucesso, medido pela repercussão e multiplicação da campanha em todo o Brasil em 2011, julgamos importante avançar em outros espaços de transformação. Assim, a campanha 2013/2014 visa o fortalecimento do espaço escolar (interna e externamente), como campo privilegiado para a reflexão e a superação das diferentes formas de violência contra a mulher – simbólicas ou explícitas – presentes no cotidiano das crianças e jovens, ao mesmo tempo em que estimule a Instituição Escolar e outros espaços de educação na coordenação e execução de uma ação articuladora e aglutinadora dos diversos canais sociais, públicos ou não, para a soma de práticas concretas de denúncia e enfrentamento da questão.

Violência doméstica e familiar

Uma vez detectado o impacto da violência doméstica e familiar no desenvolvimento da criança e no seu rendimento escolar, a proposta vem somar às transformações em curso, no sentido de tornar a escola um espaço e um instrumento de enfrentamento à violência para as crianças que se vêm expostas a ela no ambiente familiar.

É sabido que crianças e adolescentes que vivem a violência, sobretudo a exercida contra a mulher podem sofrer sequelas físicas e psicológicas semelhantes às da própria vítima de agressão, desde ansiedade, sentimentos de culpa e depressão até outras relacionadas ao processo de desenvolvimento infantil, que se traduzem, segundo especialistas, em problemas tais como na fala, em dificuldades de aprendizagem e de concentração, bem como físicos como dores de cabeça, úlceras, etc. Além do que, reproduz e promove a cultura da violência.

A função social da escola é extremamente relevante pela possibilidade de que, ao disseminar valores através de sua atuação pedagógica, pode instrumentalizar crianças e jovens para o exercício real da cidadania.

Quem Ama Abraça Fazendo Escola tem caráter educativo e preventivo no strictus e latus sensus como campanha que vem se firmando em novos modelos e conceitos para fazer juz à real inserção da mulher na sociedade. Como já diz o velho ditado, “água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Nosso papel é o de “bater” com campanhas e “furar” o que se cristalizou socialmente nas mentes das pessoas há séculos e séculos: a mulher como ser inferior ao homem na hierarquia social. As mulheres são hoje importantes protagonistas na construção e desenvolvimento ativo da nova ordem social.

clipes da
campanha
  • Veja aqui os vídeos da campanha
  • Veja aqui os vídeos do making of
quem
participa

Grandes cantoras e cantores do pop e estrelas mirins da música gentilmente doaram suas vozes e seus abraços para a campanha Quem ama abraça Fazendo escola!

Contamos ainda com a participação da Orquestra de vozes Meninos do Rio.